Buscar
  • Walter Moura

Uma Atitude Orgulhosa


Você é capaz de reconhecer que tem orgulho?


Tenho tratado desse tema em vários atendimentos terapêuticos e também em minha vida. Constantemente estou refletindo as minhas atitudes e comportamentos quando tenho algo a ser resolvido em mim. Meus estudos geram um transbordamento para meus pacientes e é sobre isso que vamos tratar nesse texto.


O orgulho é uma das atitudes humanas mais difíceis de se reconhecer, porém está bastante presente no nosso cotidiano. É como um ciclo vicioso, eu sou tão orgulhoso que não admito que o sou.



O que é o Orgulho?


Vamos iniciar conceituando o orgulho pelo significado da palavra: “Sentimento de prazer, de grande satisfação com o próprio valor, com a própria honra.”

Uma pessoa orgulhosa sabe o valor que tem, olha para isso e fica admirada, satisfeita consigo própria, sente prazer ao se olhar e reconhecer o seu valor. O orgulho está ligado ao amor próprio, eu me amo, eu me quero bem, eu sei o meu valor.


Quando falamos do sentimento de prazer pelo valor próprio, algumas pessoas tem uma superestima. Acreditam que valem mais do que é, ou seja, produzem mais, são mais bonitos, mais felizes, quando no fundo não é bem assim. Essas pessoas que se colocam como superiores, andam com o nariz empinado, falam olhando de cima para baixo. Esse não é um comportamento saudável e gera sofrimento para si e para os outros ao seu redor.



Atitudes Orgulhosas


A pessoa orgulhosa deseja fazer melhor que os outros, quando vai fazer algo sempre quer fazer algo impressionante e especial, não gosta de coisas comuns e ordinárias. Ser aplaudida é maior do que o de fazer o bem. O seu ego é alimentado pelo reconhecimento e valorização, seus atos são uma vitrine para apresentar o seu valor pessoal.


Outra coisa muito comum, não gostam de demonstrar que são fracas. Pedir ajuda é algo que não cabe em seu vocabulário, sempre dá conta de tudo, e se apresenta como auto suficiente. Demonstrar que precisa do outro é algo vergonhoso.


Nas relações, o orgulhoso não se importa em perder as pessoas. Quando alguém sai de sua vida costuma dizer que é indiferente. Ele olha tanto para si, para o seu valor que não percebe o valor do outro, ou seja, para o que está perdendo.


É muito comum uma pessoa tímida ser orgulhosa. Ela fica no cantinho dela, não se mistura, não se deixa envolver com outras pessoas, para não ter que explicar o que está vivenciando, muitas vezes, por acreditar que não será compreendida. Recentemente tive duas pacientes que se reconheceram orgulhosas, começaram a fazer terapia e não contaram para ninguém. Elas acreditavam que ninguém as compreenderiam de verdade.


Outra atitude muito comum é atribuir culpa aos outros. Falas do tipo: “Fulano, estragou minha vida.” O orgulhoso tem o costume de se sentir vítima dos incompetentes ao seu redor, usam um tom de raiva para demonstrar que estão sendo lesados pelo outro, a culpa nunca é dela mesma. Jamais admitem, ou se desculpam, tem sempre a necessidade de argumentar e tentar provar que estão certas e não se arrependem de nada que fazem.


Na aparência, o orgulho se apresenta com uma estética impecável. São pessoas que se alimentam da opinião pública. As suas qualidades física e intelectual são fundamentadas no próprio desejo de ser reconhecida e admirada pelos outros.


O orgulho é como uma capa super protetora, como uma armadura para camuflar sua fraqueza interior. A ostentação financeira é usada para tapar as suas fragilidades, tem sempre o cuidado de preservar a sua auto imagem, tem medo receber críticas. Esse medo acontece porque a crítica gera um sentimento de rejeição. Por não suportar a rejeição, e ao perceber qualquer sinal da mesma, o orgulhoso foge. Sempre saindo por cima, buscando seu lugar de conforto, o domínio da situação.


No fundo, o orgulho é como um mecanismo de defesa para proteger a sua essência da rejeição. Ele acredita que ao ser conhecido de verdade, não será amado.

Uma das causas desse comportamento vem de uma infância sofrida que precisa endurecer o coração na tentativa de se proteger.

Afinal, quando não se pode contar com os pais, precisa se tornar auto suficiente.

Outra causa é o excesso de proteção dos pais, mimando a criança e fazendo-a crer que o mundo gira em torno dela.


Orgulho pode ser bom?


Algumas pessoas possuem uma estima muito baixa e por isso não encontram valor em si próprio. Isso também não é saudável. Deve se orgulhar quando faz algo bom, admirar seus talentos, sua carreira, sua história de superação de vida.


O orgulho ele pode ser considerado saudável e normal, claro que sim?!


Para explicar isso, preciso usar um exemplo prático. Um corredor que treina bastante para uma corrida e o vence. Ele precisa se orgulhar disso, foi algo difícil e ele conquistou. Esse é o orgulho saudável. O adoecido, ao contrário, seria pegar uma medalha de outra pessoa e agir como se ela fosse sua.


Eu tenho um orgulho danado de tudo que eu construí, minha história, de todo o caminho percorrido para chegar onde estou. Porém não me alimento disso, e nem utilizo isso para me sentir melhor que os outros.


O lado bom de ser orgulhoso, é quando recebo o reconhecimento de algo que faço, por ter me dedicado a fazer as coisas bem feitas e as pessoas gostam, isso é bom.


Quando faço uma ação de caridade, sou reconhecido, porém não me alimento com isso. Eu me achar bom no que faço, também é aceitar o meu valor pessoal, afinal é um esforço diário para me tornar uma pessoa melhor, e isso não quer dizer que eu seja superior.


Quebrando o orgulho


Para que o orgulho seja quebrado, é preciso humildade. Essa virtude é a chave de todo o processo Uma pessoa humilde escuta os outros, mostra fraqueza e pede ajuda. É preciso reconhecer que não dá conta de tudo sozinho e que é possível melhorar a cada dia.


Olhar para minhas fraquezas e o tanto que eu posso crescer é um movimento constantemente para me reconhecer. Isso ajuda a me colocar no meu lugar, abaixar a bola e gerar uma aceitação do meu valor para ter uma estima justa.


O passo fácil para iniciar esse processo é reconhecer a autoridade do local. Quem é que sabe mais do que eu nesse assunto? Posso aprender com essa pessoa?


Se estou diante de uma autoridade, preciso ter atitudes de humildade, reconhecendo quem comanda ali, afinal sempre vai haver uma hierarquia e ela precisa ser respeitada e obedecida para a boa convivência em sociedade. Isso é uma habilidade que precisa ser usada diariamente, e que hoje não é tão presente no mundo atual.


Preciso diariamente parar para escutar, quando escuto, consigo prestar atenção e perceber que alguém tem algo para me ensinar, ao fazer isso aos poucos vou cedendo, reconhecendo minhas fraquezas, admitindo que não sei tudo, gerando um crescimento interno e profundo.


Ao aceitar que sou pequeno é que aos poucos vou crescendo em virtude da humildade.


O orgulhoso não consegue reconhecer isso, ele sempre vai questionar a hierarquia e autoridade, porque acha que sabe mais. Isso se dá devido ele está com os olhos voltados para o seu interior e a sua necessidade de sempre se sobressair e manter o personagem criado.


Ter orgulho pode ser muito danoso, quando não é usado de forma positiva. Porém a sua ausência total significa que você não valoriza suas qualidades, não entendendo o que tem de bom para oferecer às pessoas que estão a sua volta e até a sociedade de um modo geral.


Precisa-se ter um equilíbrio para utilizar de uma forma correta.


E agora, você consegue perceber?



https://www.instagram.com/p/CZKQ093vWC5/



6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo